GESTÃO DO CONHECIMENTO

INTRODUÇÃO

“No passado, as fontes de vantagem competitiva eram o trabalho e os recursos naturais, agora e no próximo século, a chave para construir a riqueza das nações é o conhecimento.” Drucker (1993)

O que é conhecimento?

“O conhecimento é uma reunião de informações na mente humana e sua produção à partir da informação depende das pessoas (experiência, convicções e empenho); contexto; objetivos; e análise (tipo, método e ferramentas).”

É preciso entender o que é informação:

“A informação é um conjunto organizado de dados, que constitui uma mensagem sobre um determinado fenômeno ou evento.”

E diferenciar de dado:

“Dado é qualquer elemento identificado em sua forma bruta que, por si só, não conduz a uma compreensão de determinado fato ou situação.”

Ou seja, os dados são produzidos e coletados, processados gerando informações e posteriormente são a base para geração do conhecimento.

CONHECIMENTO É PODER?

A gestão do conhecimento é o maior desafio da gestão moderna e pode ser definida como a abordagem sistemática para aumentar o valor e a acessibilidade do capital do conhecimento da organização para alcançar a máxima eficácia nos negócios e para propagar a inovação.

Não gerenciar conhecimento implica em diversos problemas para as empresas, como impactos na credibilidade, em qualidade, custo, clima organizacional, alto turnover, entre outros também importantes.

Muitas empresas tem a mentalidade de que o conhecimento do funcionário pertence à empresa. Mas se este não for compartilhado, de nada adianta. O conhecimento é da pessoa e depois que a pessoa sai, o conhecimento sai da organização, não há volta.

Hoje circula por aí a seguinte frase: “Se eu treinar um profissional e ele sair perdi dinheiro”. Mas imagine se eu não capacitar os profissionais, quanto dinheiro a empresa perderá? E não perderá só dinheiro, mas poderá perder sua imagem que é ainda mais valiosa.

Quanto ao custo com treinamento, muitas empresas criam os chamados ‘contratos de aprendizagem’, onde o profissional reembolsa a empresa dos custos do treinamento se sair da mesma antes de determinado período. Como descrito acima, o conhecimento fica com a pessoa.

Na minha visão é justo ter alguma restrição, mas é melhor que as empresas tenham políticas de valorização e retenção das pessoas. Afinal, não adianta dar muitos treinamentos e ter um clima péssimo que desmotiva a todos, fazendo com que as pessoas não queiram trabalhar ali.

GESTÃO DE CONHECIMENTO = SUCESSO

As empresas que conseguem gerir e transferir adequadamente conhecimento tem mais chance de sucesso do que as que não têm.

O relatório Pulse of the Profession de 2015 do PMI mostra que empresas com processos formais de transferência de conhecimento também são mais propensas a entregar projetos no prazo (59% contra 41%) e dentro do orçamento (62% contra 48%). Também mostra que as empresas de alto desempenho, destas 75% têm tais processos, concluem 90% dos seus projetos contra 36% das de baixo desempenho.

A GESTÃO DO CONHECIMENTO EM SI

A gestão de conhecimento envolve ações de gestão em nível da criação, captura, síntese, partilha e aplicação da inteligência coletiva da organização.

Os objetivos para a gestão do conhecimento nas organizações são:

  • Criar um repositório de conhecimento que contenha conhecimento externo, conhecimento interno estruturado e conhecimento interno informal;
  • Melhorar o acesso ao conhecimento;
  • Desenvolver um ambiente e uma cultura organizacional que estimule os processos do conhecimento; e
  • Gerir o conhecimento como um recurso mensurável.

Mas armazenar todo tipo de conhecimento não é viável, fazendo com que as empresas decidam:

  • Que conhecimento vai ser gerido?
  • Como vai ser capturado o conhecimento?
  • Como será acessado e disseminado o conhecimento armazenado?

A preocupação principal é sempre estar atento em onde estão os concentradores de conhecimento e estimular que este seja transferido. Informação importante concentrada em poucas pessoas é um risco.

OBSTÁCULOS PARA GESTÃO DO CONHECIMENTO

  • Capacidade de transferência da fonte;
  • Ambiente de cooperação e de colaboração entre a fonte e o recipiente;
  • Capacidade de absorção do recipiente;
  • Uso do conhecimento como poder;
  • Cultura organizacional;
  • Avaliação do conhecimento;
  • Processamento do conhecimento;
  • Agir de acordo com o conhecimento;
  • Ausência de um líder de conhecimento;
  • Falta de suporte da gestão de topo;
  • Falta de clareza no valor oferecido; e,
  • Falta de visão.

O CONHECIMENTO FOI TRANSFERIDO?

É importante criar métricas e formas de validar se o conhecimento foi transferido e estes devem ser confrontados com os objetivos traçados para que possa ser identificada a melhoria contínua.

CONCLUSÃO

A gestão do conhecimento é uma atividade muito importante e difícil de implementação, já que se pode criar um esforço para implementar, mas perde-se este esforço durante o tempo. As empresas precisam criar formas de manter esta “chama” acesa, pois o custo de implementação pode ser alto para se perder em pouco tempo.

Valorizar as pessoas e as experiências pode ser um caminho. É importante mesclar a experiência com a juventude para se aproveitar o melhor de todos.

REFERÊNCIAS

PM Network – Junho 2015.
http://queconceito.com.br.
http://kmol.pt/artigos/2001/11/01/mctc.

Gestão do Conhecimento: Criação e Transferência de Conhecimento


http://kmol.pt/livros/2004/09/01/gestao-do-conhecimento.
http://pt.slideshare.net/robssantoss/dados-informao-e-conhecimento.

Comente o artigo e acrescente outras dicas.

* Cadastre seu e-mail no formulário existente no lado direito da página para receber informações sobre a publicação de novos artigos. O e-mail não será utilizado para qualquer outro fim.

Se tiver interesse por algum assunto relacionado à gestão de projetos, envie um e-mail para bloggp@gerentedeprojetos.net.br com sua sugestão.

Paulo Hakme, PMP®

2 Comments

  1. Guilherme

    Concordo Paulo.
    É muito importante que as empresas e gestores tenham meios e estratégias para manter este “capital intelectual” dentro do time. Conheço muitos que recusaram propostas de salários maiores por conta de um ambiente agradável e um bom relacionamento no trabalho.

    Parabéns pelo artigo Paulo,

    Guilherme

    Reply
    1. Paulo Hakme (Post author)

      Prezado Guilherme,

      Fico feliz que tenha gostado do post e espero que também dos demais publicados.
      Qualquer sugestão fique à vontade para enviar um email para blog@gerentedeprojetos.net.br

      Obrigado.

      Paulo Hakme
      Blog do Gerente de Projetos

      Reply

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *