GESTÃO DE ESCOPO x PLANO DE TESTES

INTRODUÇÃO

Conforme traz o Guia PMBOK®, o gerenciamento de escopo deve assegurar que o projeto entregue todo o trabalho necessário e somente o necessário.

Os processos do grupo de processos “8 – Gerenciamento da Qualidade do Projeto” trazem ferramentas e técnicas para garantir a qualidade dos entregáveis do projeto.

Para projetos de TI, um artefato comumente usado para validação de projetos é o plano de testes.

Nos projetos que tenho tocado, tenho dado especial atenção ao plano de testes, já que no momento em que este é escrito, muitas situações não previstas em uma especificação funcional são encontradas. Claro que esperar cobrir 100% dos cenários pode não ser factível ou viável, quando falamos de projetos grandes, mas é esperado que exceções sejam as que fiquem de fora.

É de suma importância que o cliente valide o plano de testes, já que este delimitará o escopo dos testes que serão realizados e que embasarão a implementação.

ESCOPO DE TESTES

O plano de testes pode cobrir um escopo técnico ou funcional.

O escopo técnico testará cenários não visíveis ao usuário final, como por exemplo parâmetros de entrada de um serviço (SOA) que é consumido por uma outra aplicação.

O escopo funcional visa cobrir os cenários visíveis ao usuário final.

O PLANO DE TESTES

Um plano de testes minimamente deve conter:

  • ID: usado para referências futuras à execução do cenário;
  • Descrição: descrição do cenário de teste;
  • Requisito: pode ser usado para indicar quais requisitos este cenário de teste cobre;
  • Pré-Condições: indica o que tem que já estar pronto antes de iniciar o cenário;
  • Resultado Esperado: indica o que é esperado após a execução do cenário;
  • Resultado Obtido: indica o que realmente aconteceu quando o cenário foi executado;
  • Status: indica o status do cenário. Ex: Aberto, erro, fechado, etc.

O nível de detalhamento das informações deve ser alinhado com o cliente e ajustado a cada projeto.

CONCLUSÃO

Entregar com qualidade o que o cliente pede é o objetivo de qualquer projeto.

O plano de testes é somente uma forma de garantir a qualidade.

Temos que lembrar também conforme o Guia PMBOK® traz que existe o custo da qualidade. Isto deve ser analisado também, já que ter mecanismos que garantam que a implementação será correta pode ser menos custoso do que o custo para corrigir um problema. E se o problema for identificado quando o projeto já estiver em produção, o custo pode ser maior ainda, além de gerar maior insatisfação do cliente.

* Cadastre seu e-mail no formulário existente no lado direito da página para receber informações sobre a publicação de novos artigos. O e-mail não será utilizado para qualquer outro fim.

Se tiver interesse por algum assunto relacionado à gestão de projetos, envie um e-mail para bloggp@gerentedeprojetos.net.br com sua sugestão.

Paulo Hakme, PMP®

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *